Documentação
 

O Arquivo Distrital de Vila Real coloca à disposição dos seus utilizadores, duas formas de abordagem à sua base de descrição documental. Em  Navegar na Base, o utilizador pode expandir livremente o quadro de classificação documental, seleccionando a unidade arquivística que pretende visualizar. Esta área fornece uma visão global da documentação incorporada no Arquivo Distrital. Por seu lado, em Pesquisar Documentação, o utilizador tem a possibilidade de realizar "pesquisas simples" ou "pesquisas avançadas". Em qualquer dos casos, e por forma a limitar o âmbito da pesquisa, deverá, recorrendo ao classificador, seleccionar a unidade sobre a qual recairá a pesquisa. 

Se preferir, poderá realizar as suas pesquisas na base DigitArq, que igualmente diponibilizamos.

A descrição respeita a Norma ISAD(G) - Norma Geral Internacional de Descrição Arquivística, bem como as orientações emanadas pela Direcção-Geral de Arquivos.

Mercê da sua função patrimonial, o Arquivo Distrital de Vila Real custodia, preserva e disponibiliza ao público em geral, um volume de documentos compostos que ultrapassa as 200.000 unidades.

Tal documentação, proveniente das mais diversas instituições quer públicas, quer privadas do distrito de Vila Real, ostenta uma cronologia compreendida entre 1472, data do seu documento mais antigo, e 2003, atingindo um volume que ronda os 3.000 metros lineares.

Nestes totais, não se encontram contabilizados os volumes documentais recentemente incorporados, documentação que se encontra em tratamento e que ronda os 300 m/l. 

Destacam-se, quer pela sua dimensão, quer pelo seu valor informativo, os fundos paroquiais, notariais, judiciais e municipais, o fundo do Governo Civil de Vila Real e o fundo da Santa Casa da Misericórdia de Vila Real.

- Fundos paroquiais

O Arquivo Distrital de Vila Real detém documentação produzida pela quase totalidade das paróquias do distrito, num total de 260 fundos documentais. As séries predominantes são as relativas ao registo de baptismos, registo de casamentos e registo de óbitos. A documentação paroquial é a mais solicitada por parte do utilizador da instituição, quer devido à actividade dos genealogistas, quer ainda pelos serviços que presta ao cidadão comum, necessitado de certificar a sua identidade e relações familiares.

Os 20.493 documentos compostos de registo paroquial actualmente incorporadas no Arquivo Distrital ocupam, aproximadamente, 355 metros lineares de estante. O documento de cronologia mais recuada data de 1533, datando o mais recente de 1911.

Algumas das séries de registos paroquiais existentes no Arquivo Distrital, são completadas com os livros paroquiais do distrito de Vila Real existentes no Instituto dos Arquivos Nacionais/Torre do Tombo e ainda no Arquivo do Paço Episcopal de Bragança. À excepção da documentação de incorporação mais recente, toda ela se encontra disponível em microfilme.

Encontra-se publicado um inventário de séries designado: Inventário Colectivo dos Registos Paroquiais, ed. Arquivos Nacionais/Torre do Tombo, Inventário do Património Cultural Móvel, vol. 2 - Norte, Lisboa, 1994.

- Fundos notariais

Os actuais cartórios notariais herdaram a documentação dos tabeliães, proprietários de ofícios. Na sua totalidade, a documentação notarial incorporada no Arquivo Distrital, atinge as 25.372 documentos compostos, ocupando cerca de 410 metros lineares de prateleiras.

Encontram-se documentados 95 fundos notariais, correspondendo a idêntico número de ofícios. Estão representados, para além dos cartórios notariais ainda em actividade, diversos cartórios entretanto extintos, como é o caso dos de Galegos, Lordelo, Alfarela de Jales, Provesende, Barqueiros, Teixeira, Canelas, Águas Revés, etc.

A documentação notarial apresenta uma cronologia que varia entre 1577, data do seu documento mais antigo, e 1996.

- Fundos judiciais

Os tribunais judiciais de Alijó, Chaves, Peso da Régua, Valpaços, Vila Pouca de Aguiar e Vila Real transferiram para o Arquivo Distrital parte significativa dos seus espólios documentais. Num total de 46.943 documentos compostos, a documentação judicial ocupa, nas estantes do Arquivo Distrital de Vila Real, uma metragem que ronda os 850 metros lineares.

O documento que ostenta cronologia mais recuada data de 1681, sendo o mais recente de 2003.

- Fundos monásticos

O Arquivo Distrital detém documentação relativa aos extintos conventos de Santa Clara, São Domingos e São Francisco de Vila Real, do Convento de São Francisco de Chaves e ainda das Comendas de Nossa Senhora das Neves de Vilarinho dos Freires, de São João da Corveira, de São Martinho de Bornes e de São Miguel de Poiares.

Num total de 104 documentos compostos, a documentação monástica incorporada neste Arquivo ocupa pouco mais de 7 metros lineares de prateleira. O seu documento de cronologia mais recuada data de 1480, datando o mais recente de 1850.

- Fundos de confrarias e irmandades

De entre a documentação relativa a confrarias e irmandades do distrito de Vila Real incorporadas, merecem especial destaque, pela sua extensão, cronologia e valor informativo, os fundos documentais da Irmandade de São Pedro de Vila Real e da Ordem Terceira de Nossa Senhora do Carmo, também de Vila Real.

Esta documentação, repartida por 39 fundos documentais, atinge um total de 203 documentos compostos e ocupa cerca de 8 m/l de prateleira. Engloba documentação cronologicamente compreendida entre 1647 e 1964.

- Fundos de misericórdias

O Arquivo Distrital de Vila Real incorporou a documentação, com valor histórico, da Santa Casa da Misericórdia de Vila Real e da Santa Casa da Misericórdia de Peso da Régua.

Adocumentação destes dois fundos documentais, atinge um total de 290 documentos compostos e ocupa cerca de 13 m/l de prateleira. Engloba documentação cronologicamente compreendida entre 1524 e 1965.

- Fundos da administração central

Especial destaque para o fundo documental do Governo Civil de Vila Real.

Na sua globalidade, a documentação relativa à administração central, é constituida por 2.255 documentos compostos, ocupando um total de aproximadamente 320 m/l.

Cronologicamente, a sua documentação está compreendida entre 1834 e 2000.

- Fundos da administração local

Neste contexto, especial destaque para a documentação relativa às câmaras municipais dos extintos concelhos de Lordelo, Ermelo, Galegos e Parada do Pinhão.

Na sua globalidade, a documentação relativa à administração local, é constituida por 81 documentos compostos, ocupando um total de aproximadamente 7 m/l.

Cronologicamente, a sua documentação está compreendida entre 1589 e 1948.

- Fundos da administração central

O A.D.V.R. detém apenas um fundo documental relativo à Administração Central, precisamente o fundo documental do Governo Civil de Vila Real.

A sua documentação atinge um total de 1.955 unidades de instalação, depositadas em cerca de 188 m/l de prateleiras.

O documento mais antigo data de 1834, sendo o mais recente de 1989.

- Fundos da administração central desconcentrada

O Arquivo Distrital de Vila Real detém documentação relativa às juntas gerais de distrito de Vila Real e Bragança, à Junta de Província de Trás-os-Montes e Alto Douro, à Direcção Escolar de Vila Real e à Assembleia Distrital de Vila Real, isto para citar apenas os fundos documentais mais significativos.

A documentação relativa aos arquivos da administração central desconcentrada atinge um total de 1.572 documentos compostos, ocupando cerca de 100 m/l de prateleiras.

O seu documento mais antigo data de 1714 e o mais recente de 1992.

- Fundos de famílias

No âmbito dos arquivos de família, o Arquivo Distrital detém apenas um fundo documental: o da Família Teixeira Homem.

Este fundo documental é constituído por 938 documentos simples, e ocupa 2 m/l de estante.

Em termos cronológicos, a sua documentação está compreendida entre 1472 e 1974.

- Fundos de pessoas singulares

O Arquivo Distrital detém três fundos documentais de pessoas singulares: o de Abel de Mesquita Guimarães, o do Conde de Vimioso e o de Nuno Simões.

São constituídos por 138 documentos compostos e 8.563 documentos simples, instalados em 10 m/l de estante.

Em termos cronológicos, esta documentação compreende o período de 1685 a 1984.

O Arquivo Distrital de Vila Real detém ainda documentação diocesana, de associações e empresas. Contudo, a sua expressão é muito limitada.


O Arquivo Distrital de Vila Real detém ainda uma significativa colecção de legislação portuguesa, cronologicamente compreendida entre 1715 e a actualidade, e que ocupa, aproximadamente 200 metros lineares.

Tal legislação encontra-se disponível para consulta.

     
 
© 2003, A.D.V.R. - Todos os direitos reservados.
  SCETAD - Trás-os-Montes Digital | POSI - Programa Operacional  Sociedade da Informação | Portugal Digital | União Europeia - FEDER | Este site é Acessível. Obtenha mais informações